Notícias

Inovação em empresas tradicionais foi tema do segundo dia do InovaCampinas 2016

Fotografia: Ricardo Lima

Texto: Divulgação

Na sexta-feira, 21 de outubro, o InovaCampinas 2016 – Fórum Regional de Inovação e Desenvolvimento Sustentado – deu continuidade aos debates sobre ações estratégicas que visam ao fortalecimento da economia, do conhecimento, do habitat de inovação, da criatividade e da competitividade na região de Campinas. O processo sucessório para impulsionar a inovação em empresas tradicionais foi um dos temas discutidos no período da manhã – em palestra ministrada por José Maria Pugas, do Agripa Innovation Lab – e gerou bastante interação com o público.

Com o título “Acontece nas melhores famílias”, a apresentação desmitificou diversos preconceitos da administração de empresas familiares, como “famílias são avessas a mudanças” e “Gestão familiar não é profissional”, já que o capitalismo em empresas desse gênero opera de acordo com os laços afetivos. No entanto, de acordo com Pugas, da mesma forma como a inovação se dá a partir de um longo processo, o ciclo de planejamento de uma empresa familiar também. “O gestor muda e inova para que seus filhos e netos possam desfrutar de uma empresa próspera, pois sabe que, se parar no tempo, seus sucessores terão que procurar emprego”, explicou o palestrante.

Assim, pela preservação da família, esse tipo de empresa está muito mais aberta à transformação, por exemplo, para agregar o filho mais jovem que estudou no exterior e retornou cheio de ideias novas para a empresa.

Pugas apresentou cases de sucesso de empresas familiares, principalmente do agronegócio, e apontou a importância delas no mundo. Segundo ele, na Alemanha, por exemplo, as empresas familiares conseguem ter um desempenho quase 7% maior do que as companhias do índice das bolsas de ações do país. “Elas têm ciclos longos e foram feitas para durar. A questão não é apenas proteger o patrimônio, mas também a família”.

Para ilustrar sua apresentação, o palestrante convidou Marina Khattar de Godoy para falar sobre sua experiência como sucessora da Rede Anhanguera de Comunicação (RAC). Empreendedora nata, Marina é formada em arquitetura e urbanismo, estudou no exterior e tem experiência em empresas de alta tecnologia. Ao voltar para sua cidade natal, Campinas, ela decidiu investir seus conhecimentos em projetos inovadores para a empresa de sua família. “Para continuar, precisamos enxergar de dentro para fora”, declarou Marina.

No final da palestra, José Eduardo Azarite, presidente da Fundação Fórum Campinas Inovadora (FCCI), realizadora do evento juntamente com a Unicamp, acrescentou que a FFCI iniciará um trabalho sistemático para discutir esse tema. “A ideia é atuar com a cultura do capital semente e aproveitar todo o capital gerado em nossa região”, disse Azarite.

O segundo dia do InovaCampinas teve continuidade com o painel “Grandes empresas: novos modelos de interação no ecossistema de inovação”, moderado pela Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei) e composto por representantes da Bosch, da Mahle, da Natura, do instituto de pesquisa e desenvolvimento da Samsung, e do CPqD.

O evento foi finalizado com o pitch day organizado pelo Movimento 100 Open Startups.

 

InovaCampinas viabiliza 350 reuniões de negócios

Os dois dias do Fórum Regional de Inovação e Desenvolvimento Sustentado reuniram representantes de grandes empresas, startups, instituições científicas e tecnológicas (ICTs) e governos.

Além de debates sobre ações estratégicas que visam à criação de políticas públicas voltadas ao fortalecimento da economia, da inovação e da competitividade na região de Campinas, o InovaCampinas foi marcado por uma feira tecnológica que envolveu 23 startups e 27 ICTs. Os dois dias do evento contemplaram cerca de 350 reuniões de negócios – de 20 minutos cada e já pré-agendadas pelo site – entre startups, ICTs, empresas e investidores.

 

Confira a cobertura completa em: www.facebook.com/foruminovacampinas/

 

A 3º edição do InovaCampinas conta com o patrocínio da Prefeitura de Campinas, da Desenvolve SP, da Fapesp, da Somorelate Business Development e da Terras do Barão Empreendimentos.

Apoiam o evento o IAC, o Grupo RAC, o V8 Startups, o LIDE, a Inova Unicamp, o CIESP Campinas, o CRC&VB, a ACS, a Incamp, a IMA, a Anpei, o SindusCon, a Inova Ventures Participações, o Núcleo Softex Campinas, o Movimento 100 Open Startups e a Baita Aceleradora.