Notícias

Com cerca de 350 reuniões de negócios viabilizadas, o InovaCampinas se configura como um importante Fórum de geração de investimento

Texto: divulgação

Foto: Vanessa Sensato

Com cerca de 500 visitantes somente no primeiro dia, o  evento InovaCampinas 2016 está sendo palco de uma feira de tecnologias trazidas por 26 instituições de pesquisa e 27 startups de todo o Estado de São Paulo. Como resultado, os organizadores apontam que os dois dias do evento contemplarão cerca de 350 reuniões de negócios entre startups, ICTs, empresas, potenciais clientes e investidores. O evento é gratuito e ocorre no Instituto Agronômico de Campinas (IAC) até esta sexta-feira (21 de outubro).

Promovido pela Fundação Fórum Campinas Inovadora em parceria com a Unicamp, o evento recebe hoje palestras e também 37 startups inscritas no Movimento 100 Open Startups para o Pitch Day, quando serão avaliadas por grandes empresas parceiras e investidores.

De acordo com José Eduardo Azarite, presidente da Fundação Fórum Campinas Inovadora (FCCI), o InovaCampinas 2016 está sendo bem-sucedido em atrair ainda mais investidores para a região. “Temos ideias inovadoras e grupos de pesquisa e startups de qualidade. Esse ano o evento já conta com características internacionais, e não só devido aos palestrantes. Por exemplo, o prefeito de Fundão, uma cidade de Portugal, está aqui coletando possibilidades e parcerias. Também temos pessoas do Reino Unido e da Espanha trazendo suas ideais para cá. Então, o objetivo é chamar os investidores para conhecer o potencial da região durante os dois dias do evento e fazer com que eles continuem investindo aqui”.

Andrew Jenner, diretor executivo da Astra Investimentos, também destaca a região de Campinas como uma das mais ricas do país. “Do ponto de vista de investimento, nós estamos buscando empresas com base em inovação, independentemente do setor. Estamos procurando empresas que tenham conexões com instituições de pesquisa e universidades, startups que estão bem no início e até companhias um pouco maiores que buscam recursos para a expansão”, explicou Andrew, que informou que esse fundo movimenta 150 milhões de dólares de investidores estrangeiros e deu dicas para os empreendedores conquistarem esses investidores. “Eles precisam ser muito bem qualificados em suas áreas e ter paixão pelo que fazem”.

A startup Tau Flow, por exemplo, tem o objetivo de levar tecnologia de alta performance para várias empresas de diferentes segmentos do mercado. “Um evento como esse nos coloca em contato tanto com pesquisadores, quanto com empresas e investidores. Então, o InovaCampinas está nos proporcionando o encontro com diferentes nichos que a gente vem buscando. E isso é muito importante para alcançarmos os nossos objetivos, como conquistar novos clientes, fazer pesquisa tecnológica e realizar parcerias com investidores”, disse Marcílio Caetano, um dos sócios da Tau Flow.

Parque Tecnológico Galileo

Além da geração de negócios entre startups, ICTs, empresas e investidores, o InovaCampinas 2016 também viabilizou a assinatura de um acordo entre a FCCI e a Terras de Barão Empreendimentos, responsável pela implantação do novo Parque Tecnológico Galileo, em Paulínia, próximo a Unicamp.

Trata-se do primeiro empreendimento de iniciativa privada voltado a investidores do mercado e empresas de produção baseada em pesquisa tecnológica. Seu objetivo é dar suporte ao núcleo de gestão de educação e relacionamentos, apoiando empreendimentos de inovação e tecnologia.

Serviço:

3º InovaCampinas – Fórum Regional de Inovação e Desenvolvimento Sustentado

 20 e 21 de outubro

 Auditório do Instituto Agronômico de Campinas (IAC)

 Mais informações: http://inovacampinas.org.br/

A 3º edição do InovaCampinas conta com o patrocínio da Prefeitura de Campinas, da Desenvolve SP, da Fapesp, da Somorelate Business Development e da Terras do Barão Empreendimentos.

Apoiam o evento o IAC, o Grupo RAC, o V8 Startups, o LIDE, a Inova Unicamp, o CIESP Campinas, o CRC&VB, a ACS, a Incamp, a IMA, a Anpei, o SindusCon, a Inova Ventures Participações, o Núcleo Softex Campinas, o Movimento 100 Open Startups e a Baita Aceleradora.